Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

OS PONTOS MAIS REMOTOS DE ÁFRICA

Mäyjo, 26.07.15

africaa_a

A bela África

UMA PONTE OU UMA MONTANHA RUSSA?

Mäyjo, 26.07.15

foto_1

A ponte Eshima Ohashi

NO SUDOESTE DE MARROCOS, A ÁGUA VEM DO NEVOEIRO

Mäyjo, 26.07.15

marrocos_SAPO

A tecnologia verde que permite transformar o nevoeiro em água fresca que sai directamente nas torneiras veio pôr um fim às caminhadas das mulheres de várias aldeias do sudoeste de Marrocos, que todos os dias percorriam vários quilómetros para ir buscar água a poços.

Recentemente, várias famílias de cinco comunidades de berberes do sudoeste marroquino começaram a beneficiar da “colheita de nevoeiro”, uma técnica que foi desenvolvida no Chile há cerca de 20 anos e que desde então tem sido aplicada a países como o Peru, Namíbia, África do Sul e agora Marrocos.

No cume de uma montanha chamada Boutmezguida, que se ergue sobre várias aldeias a 1.225 metros de altitude, foram instalados 40 painéis feitos de espessa malha que consegue capturar a água do nevoeiro e encaminhá-la para uma rede de tubos, que depois distribui a água pelas várias aldeias. Para os habitantes da região semiárida das montanhas Anti-Atlas é uma “revolução” ter água a sair da torneira nas suas casas. E tudo graças a esta tecnologia verde que aproveita a água presente no nevoeiro.

Os painéis colectores foram instalados pela Dar Si Hmad para o Desenvolvimento, Educação e Cultura, uma associação regional marroquina. Aissa Derhem, presidente da associação, ouviu falar destes painéis há 20 anos, quando ainda davam os primeiros passos. Anos depois, quando regressou à localidade de Sidi Ifni, nas montanhas Anti-Atlas, Derhem – que aí nasceu – apercebeu-se que o clima local era semelhante aos dos Andes da América do Sul.

Unindo esforços com a Fog Quest, uma organização de caridade canadiana, Derhem conseguiu trazer o sistema de filtragem do nevoeiro para a região de Sidi Ifni. A 22 de Março de 2015, Dia Mundial da Água e dez anos de pois de Derhem ter dado início ao projecto, as válvulas do sistema de tubagem que distribui a água pelos aldeões foram finalmente abertas e água jorrou das torneiras dos habitantes de Sidi Ifni.

Desde então, “92 lares, o que equivale a quase 400 pessoas” têm beneficiado da água que é filtrada do nevoeiro pelos painéis, indica Derhem ao Phys.org. “Marrocos tem muito nevoeiro devido a três fenómenos: a presença de um anticiclone provindo dos Açores, uma corrente de ar frio e uma cadeia montanhosa que funciona como obstáculo”, explica o presidente da associação Dar Si Hmad. As malhas que retêm a água são uma “mera imitação da natureza”, acrescenta, exemplificando como as teias das aranhas conseguem fazer o mesmo.

O objectivo passa agora por alargar o projecto e instalar mais painéis coletores de água em outras aldeias da região sudoeste e a longo-prazo no país inteiro.

A IGREJA EM FORMA DE GALINHA QUE ESTÁ PERDIDA E ABANDONADA NA FLORESTA INDONÉSIA

Mäyjo, 26.07.15

igreja_a

Uma igreja escondida na Indonésia